quarta-feira, 23 de junho de 2010

Pecadores nas mãos de um Deus irado (4)

Aplicação (2)



1. A quem pertence essa ira? E a ira do Deus infinito. Se fossem somente as iras humanas, mesmo a do governante mais poderoso, comparativamente seria considerada como coisa pequena. A ira dos reis é bastante temida, principalmente dos monarcas absolutos, que possuem os bens e as vidas de seus súditos inteiramente sob o seu poder, para serem usados quando bem entenderem. “Como o bramido do leão é o terror do rei: o que lhe provoca a ira peca contra a sua própria vida.” Prov. 20:2. O súdito que enfurece esse tipo de governante arbitrário sofre os maiores tormentos que se possa conceber, ou que o poder humano possa infligir. Porém, os maiores principados da terra, em toda a sua grandeza, majestade e poder, mesmo revestidos de seus grandes terrores, não são mais do que vermes débeis e desprezíveis que rastejam no pó, quando comparados com o grande e Todo-poderoso Criador e Rei dos céus e da terra. Mesmo quando estão enraivecidos e sua fúria chega ao máximo, é muito pouco o que podem fazer. Os reis da terra são, perante Deus, como gafanhotos. Valem menos que nada. Tanto o seu amor quanto o seu ódio são desprezíveis. A ira do grande Rei dos reis é muito mais terrível do que a deles, tal como é maior a Sua Majestade. ““ Digo-vos, pois, amigos meus: Não temais os que matam o corpo e, depois disso, nada mais podem fazer. Eu, porém, vos mostrarei a quem deveis temer: Temei aquele que depois de matar, tem poder para lançar no inferno. “Sim, digo-vos, a esse deveis temer.” Luc. 12:4-5.

[1ª Parte][2ª Parte][3ª Parte][4ª Parte][5ª Parte][6ª Parte][7ª Parte][e-Book]