quarta-feira, 23 de junho de 2010

A lingua de um asassino | Pr. Diego Dy Carlos


A língua é a arma mais perniciosa e letal que o ser humano jamais poderia criar. É a mais danosa arma de um assassino. Quando não mata, mutila e deixa cicatrizes permanentes na alma da vítima, geralmente indefesa. O sábio realça essa verdade a afirmar que “a morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza come do seu fruto” (Pv 18.2; cf. 15.4). Portanto, ela pode ser usada para o bem ou para o mal; para gerar vida ou para tirá-la; para curar ou para enfermar. Tudo depende da intenção e sabedoria de quem a usa: “Alguém há cuja tagarelice é como pontas de espada, mas a língua dos sábios é medicina” (Pv. 12.18).

O Senhor Jesus ensinou a mesma coisa ao comunicar aos fariseus a interpretação correta e mais profunda do sexto mandamento (“não matarás”) no Sermão da Montanha (Mt 5.21-26). Enquanto aqueles mantinham convenientemente um padrão ético superficial com suas interpretações casuísticas dos mandamentos, o Mestre lhes ensinou que era possível assassinar o próximo sem levantar um dedo contra ele, apenas com sentimento se ódio e palavras insultuosas (cf. Mt 5.22). Os fariseus não entendiam que para Deus, que sonda as motivações do coração, “pensamentos são atos”, utilizando o preciso insight de João Calvino.


Tiago escreveu que a língua “é mal incontido, carregado de veneno mortífero” (Tg 3.8). Quem pode escapar de seus ardis? Quem pode sair ileso de seus ataques? Ai daquele que cair na língua do perverso. Davi experimentou o seu poder e clamou a Deus, dizendo: “Esconde-me da conspiração dos malfeitores e do tumulto dos que praticam a iniqüidade, os quais afiam a língua como espada e apontam, quais flechas, palavras amargas, para, às ocultas, atingirem o íntegro; contra ele disparam repentinamente e não temem” (Sl 64.2-4).

Jesus afirmou que Satanás foi homicida desde o início (Jo 8.44). Isso deveria nos fazer perguntar a quem satanás assassinou. Quem teve seu sangue derramado pelas mãos de Lúcifer no princípio? A resposta é simples: ninguém. Satanás não tirou efetivamente a vida de ninguém. Não o vemos investindo contra Eva empunhando uma espada ou coisa do tipo. No entanto, com suas mentiras travestidas de verdades, utilizando-se de palavras sutis e ardilosas, ele trouxe morte espiritual a humanidade e todas as conseqüências que conhecemos muito bem. Sua única arma foi a língua.

Talvez você nunca chegue a derramar o sangue de alguém. Talvez você nunca chegue nem mesmo a empunhar uma arma. No entanto, lembre-se que é possível matar o próximo com palavras. As fofocas e calúnias podem matar a moral, idoneidade, reputação, nome, auto-estima, sonhos, valores e ideologias daqueles que, às vezes, nem ao menos sabem que estão sob ataque. Talvez não haja pior assassinato do que o psicológico e moral. Quando alguém tem sua moral e seus princípios solapados e arruinados na sociedade ou grupo ao qual pertence pelas calúnias de línguas malignas e indomáveis. Neste ato, o “assassino” demonstra com clareza suas semelhanças com o primeiro homicida.

Não seja um agente de satanás! Mantenha sua língua sobre controle usando-a sempre para abençoar.

Soli Deo Gloria.

Fonte:http://diegodycarlos.blogspot.com/