quarta-feira, 16 de abril de 2014

Conselhos sobre Pregação | Fred G. Zaspel

Preparando para a Pregação

Eu sou frequentemente inquirido por jovens pregadores e cristãos jovens que mostrampreacher-pulpit21 alguma promessa de possuírem um possível “dom” de ensino, sobre qual é o meu procedimento de estudo quando fazendo o trabalho expositivo. Aqui está um sumário que freqüentemente apresento.

1. Leia seriamente, e re-leia, e re-leia, e re-leia, e re-leia, e re-leia, e re-leia, o texto e o contexto — tanto em português como no original (múltiplas traduções em português será útil também, particularmente se você não puder trabalhar com o original). Repita, repita, repita e repita este passo. Então repita novamente. E novamente. E novamente, e novamente, e novamente....etc. (G. Campbell Morgan disse que antes dele pregar a partir de uma passagem, ele lia aquele livro inteiro 50 vezes. Conselho maravilhoso — um ideal que eu confesso que raramente alcancei, mas que teria sido muito melhor [para as minhas pregações] se eu tivesse conseguido.)

2. Faça um esboço preliminar, determinando a sua abordagem, tema, etc.

Aparte: É importante aqui para o pregador conhecer o seu *tema* (singular). A grande maioria dos sermões dispara como uma metralhadora uzzi— e tais sermões são geralmente mais eficazes em fazer a matança. Um pregador deve ter um ponto para estabelecer, e ele deve fazê-lo. E o ouvinte deve ser capaz de reconhecê-lo e ir para casa com ele. E mais isto — o seu ponto deve derivar do texto!

3. Investigue os comentários—

  1. para afiar sua precisão no texto
  2. para aprofundar seu entendimento do texto
  3. para checar e avaliar suas interpretações preliminares
  4. fora isso, para ajudar sua interpretação / aplicação do texto

4. Finalize seu esboço e abordagem — introdução, pontos principais, transições, ilustrações, conclusão.

Aparte: (Especialmente para jovens pregadores) Eu recomendo que a mensagem seja manuscrita (ou quase). Isto te força a ser meticuloso, e mais importante, te força a ser preciso e claro em suas explanações e aplicações. Quer o manuscrito seja memorizado ou recitado literalmente ou não (e algumas vezes pelo menos partes dele devem ser, particularmente sobre os assuntos mais difíceis, técnicos ou espinhosos — e sobre os assuntos de aplicação mais importante), pelo menos isto te força através do processo de se tornar tão claro como possível. A regra prática geral— se você pode pensar na mensagem “sobre os seus pés”, você pode pensar nela melhor ainda em seus estudos.

5. Ore. Ore. Ore. Peça a Deus para acompanhar Sua palavra — para aplicá-la nos corações e mentes do Seu povo. E ore também para que Ele primeiro use-a para mover e moldar o próprio pregador.

6. Pregue!


Traduzido por: Felipe Sabino de Araújo Neto
Fonte: Monergismo