domingo, 13 de abril de 2014

Capacitados para suportar as adversidades | Rev. Jailto Lima do Nascimento

navegando--mar-em-furia_6803_1280x800O enfrentamento de lutas e adversidades é algo universal. Em todos os lugares e em todas as épocas as pessoas lidam com as mais diversas dificuldades. Não importa o gênero (masculino ou feminino), faixa etária (infante ou ancião), condição social (rico ou pobre), grau de instrução (culto ou analfabeto) e confissão religiosa (cristão ou pagão), as adversidades são inerentes ao ser humano após a entrada do pecado no mundo.

Ninguém em sã consciência almeja enfrentar lutas e aflições. Os problemas que atravessamos sempre são tidos como indesejáveis e geralmente chegam sem agendar. Quando menos esperamos somos surpreendidos por circunstâncias difíceis, que causam dor, apreensão, angústia e quase sempre lágrimas.

Durante seu ministério terreno, o Senhor Jesus alertou, instruiu e consolou seus discípulos quanto às lutas e dificuldades que certamente enfrentariam. É comum em nossos dias o falso ensino que os filhos de Deus não experimentam dor e sofrimento, não passam por aflições e tensões, porém, tal falácia contradiz o ensino do Mestre que afirmou: “Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo” (João 16.33).

Como não é possível atravessar a existência humana sem enfrentar adversidades, o melhor é preparar-se de forma adequada para quando elas chegarem. Visando tal propósito, no encerramento do clássico sermão do monte, nosso Senhor e Salvador instruiu aos ouvintes quanto ao tema (Mt 7.24-27).

O texto afirma a existência de apenas dois grupos de pessoas, os prudentes e os insensatos. O diferencial entre eles não é o fato de um grupo enfrentar aflições e o outro não. Nem tão pouco o grau de intensidade da aflição. O diferencial é a forma como cada grupo está preparado para o momento crítico a ser enfrentado.

Digno de nota no ensino de Jesus é o grau que a tormenta existencial pode alcançar – “… e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa…” – tanto na vida dos prudentes quanto na vida dos insensatos. Há momentos em que enfrentamos problemas provenientes de áreas distintas da vida e, por todos os lados, somos cercados pelas adversidades. Somos confrontados por dificuldades que se arremessam sobre nós (de cima para baixo – “caiu a chuva”), que tentam nos submergir (de baixo para cima – “transbordam os rios”) e nos arremessar ao chão (por todos os lados – “sopram os ventos”).

Rev. Jailto Lima do Nascimento

Fonte: Primeira Igreja Presbiteriana de Vitória – ES.