segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Jesus, o desejado de todas as nações | Hernandes Dias Lopes

Jesus é a pessoa mais importante da História. Para ele convergem todas as coisas no céu e na terra, no tempo e na eternidade. Dele, por meio dele e para […]

Jesus é a pessoa mais importante da História. Para ele convergem todas as coisas no céu e na terra, no tempo e na eternidade. Dele, por meio dele e para ele são todas as coisas. Ele é o criador e o sustentador da vida. Ele é o profeta e a mensagem; o sacerdote e o sacrifício; o rei supremo e ao mesmo tempo o servo que se humilhou até à morte e morte de cruz. Jesus é a dádiva do Pai à igreja desde a eternidade. Ele foi prometido no Éden como aquele que esmagaria a cabeça da serpente. Ele foi prefigurado nos sacrifícios judaicos, proclamado pelos profetas e anunciado pelos anjos. Ele é o desejado de todas as nações.

Por que Jesus é o desejado de todas as nações?

1. Porque somente por meio dele o homem pode reconciliar-se com Deus. Aqueles que pregam que toda a religião é boa e que todos os caminhos conduzem a Deus estão incorrendo num ledo engano. Só há um caminho para Deus. Jesus é este novo e vivo caminho. Só existe uma porta do céu. Jesus é esta porta. Só há um mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem. A Bíblia diz que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo. O homem jamais pode ser reconciliado com Deus por meio das suas obras, penitências ou cerimônias religiosas. Somente por meio de Jesus podemos ter acesso ao Pai. Foi pela sua morte que o véu do templo se rasgou de alto a baixo. Foi pela sua morte que ele fez a paz. É pela sua morte que temos vida e somos reconciliados com Deus.

2. Porque somente por meio dele o homem pode ter a vida eterna. A salvação não é um troféu que conquistamos pelo nosso esforço e mérito, é uma dádiva recebida gratuitamente. Não somos salvos com base em nossa fé, mas por meio da fé. A fé não é base da nossa salvação, mas o seu instrumento de apropriação. A base da nossa salvação é o que Cristo fez por nós na cruz. O fundamento da nossa redenção é a cruz de Cristo. Não há possibilidade do homem receber a vida eterna, senão pela morte vicária, expiatória, e substitutiva de Cristo. Todo aquele que crê em Cristo, o eterno Filho de Deus, recebe de graça, pela fé, o dom da vida eterna. Nenhuma religião do mundo, por mais conceituada ou antiga, jamais pode oferecer ao homem a vida eterna. Fora do sacrifício de Cristo os homens tentam, em vão, alcançar a salvação pelos seus méritos. Tentam inutilmente construir uma torre que chegue aos céus. O Cristianismo não é um caminho construído da terra para o céu, do homem para Deus, mas de Deus para o homem, do céu para terra.

3. Porque somente por meio dele as nações podem receber a graça de Deus. O mundo não está precisando de mais religião. As religiões se multiplicam aos milhares e com elas os homens afastam-se ainda mais de Deus. Há muitas religiões e muitos deuses. Na verdade, o homem é um ser religioso. Tem necessidade de se prostrar diante de algum altar. Mesmo aqueles que se dizem ateus adoram a si mesmos. Mas, esses caminhos todos levam o homem para longe do significado da vida. Há um vazio no coração do homem com o formato de Deus. A eternidade foi colocada em seu coração e as coisas terrenas, temporais e contingentes não saciam sua alma. Esse vazio existencial não pode ser preenchido com dinheiro, prazer, sucesso, nem mesmo com religião. Somente Cristo pode dar razão à vida humana. Somente Cristo satisfaz. Fora dele a vida é uma piada sem graça. Sem Jesus a vida é um tédio e uma náusea, como pregam os existencialistas. Mas, em todos os lugares, em qualquer tempo, todo aquele que se volta para Deus e põe sua confiança em Jesus, encontra nele a vida eterna.

Rev. Hernandes Dias Lopes