segunda-feira, 11 de junho de 2012

Curtir ou compartilhar, eis a questão. Será que é cristão? | Evandro Marinho


Tenho visto nas paginas do facebook, várias declarações de amor com respeito a Jesus, muitos dizem: Jesus eu te amo, Jesus tu és a minha vida, Jesus me ama e eu o amo, e assim muitas outras frases semelhantes com o seguinte final “quem ama Jesus curte ou compartilha”. Será mesmo?

Quem ama a Jesus Cristo verdadeiramente, pode até curtir e compartilhar em sua página do facebook, no seu twiter e até mesmo no Orkut, que não é errado. Porém é preciso imitá-lo, servi-lo, de forma que O agrade. Você não poderá usar as suas postagens do facebook, e outras redes sociais para justificar o seu cristianismo (Mt. 7.22-23). O crente verdadeiro, expressa em sua vida o caráter de Jesus Cristo. Ele deve ser uma nova criatura, novo homem nascido do Espirito, totalmente deferente do mundo. 

Devemos ser “sal e luz” (Mt. 5.13-14) neste mundo sem sabor e de trevas, mas o mundo nos observa de forma que um o nosso melhor modo de evangelização ainda é o nosso modo de viver, digo mais viver em Cristo, sendo a sua semelhança, quem ama a Jesus não somente “curte e compartilha” mas o imita, serve e também “ nega a si mesmo”.

Negue-se, e deixe Cristo ser o Senhor da tua vida, continue “compartilhando e curtindo”,  más não negligencie os frutos de justiça em sua vida.

Finalizando: Muitos cristãos passam toda a sua vida sem ganhar nenhum parente ou amigo para Cristo. Já se perguntou por quê?

É possível que este cristão seja muito mais parecido com o mundo do que com a pessoa de Cristo, e quando não parecemos com Cristo, não há em que o mundo nos imitar, nem mesmo nos perseguir. Em João 17, o Senhor pede ao Pai que nos deixe no mundo, certamente não é em vão que Ele faz este pedido, em Tiago vemos que ele nos lembra de que embora estejamos no mundo não devemos ser amigo dele (Tg 4.4).

Temos que ser imitadores de Cristo como disse Paulo (Fl 3.17), quantos de nós temos coragem de dizer o que Paulo disse neste verso? É preciso que resposta do cristão a esta pergunta seja "sim eu posso" mas verdadeiramente, não somente da boca para fora.