terça-feira, 23 de agosto de 2011

A natureza do Batismo – O que ele é?


Primeiramente,vamos considerar A natureza do Batismo –O que é?

(1) OBatismo é uma ordenança apontada por nosso Senhor Jesus para a admissão continua de novos membros em sua igreja visível. No Exército, cada novo soldado é formalmente adicionados à matricula do seu regimento. Em uma escola cada novo estudante é formalmente inscrito nos livros da escola. E todo cristão começa sua vida comomembro da igreja, sendo batizado.

(2) O Batismo é uma ordenança de grande simplicidade. A parte visivel é a água administrada em nome do Pai, do Filho e do Espirito Santo ou em nome de Cristo. A parte invisível, interior, significativa, é a lavagem no sangue de Cristo e a purificação interior do coração pelo Espírito Santo, sem o qualninguém pode ser Salvo. O Artigo 27 da Igreja da Inglaterra diz, com razão “Obatismo não só é um sinal de profissão e marca de diferença, com que se distinguem os cristãos dos que o não são, mas também um sinal de regeneração ounovo nascimento”.

(3) O Batismo é uma ordenança em que, quando é devidamente empregado, podemos esperar com confiança as mais altas bençãos. Não é razoável supor que Cristo, o Cabeça da Igreja, nomearia solenemente uma ordenança que seria inútil para a alma tal como um mero registro civil ou inscrição humana. O Sacramento que estamos considerando aqui não é uma mera ordenança produzida por homens, mas sim uma ordenança do Rei dos Reis. Quando a fé a oração acompanham o Batismo e se segue um uso diligente dos meios bíblicos, nós somos justificados em olhar para muitas bençãos espirituais. Sem fé e oração, o Batismo se torna um mero rito.

(4) O Batismo é uma ordenança que é expressamente ensinada cerca de oito vezes, no Novo Testamento. As quase últimas palavras de nosso Senhor Jesus Cristo foram um comando para batizar : “Portanto ide, fazei discípulos de todasas nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;” (Mt28:19). No dia de Pentecostes, encontramos Pedro dizendo: “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo” (At 2:38) e questionando na casa de Cornélio : “Pode alguém porventura recusar a água, para que não sejam batizados estes, que também receberam como nós o Espírito Santo? “ (At 10:47). Encontramos Paulo não só se batizando, mas batizando discipulos por ondequer que fosse. Dizer, como fazem alguns, que o Batismo é uma ordenança sem importância é derramar desprezo sobre a Bíblia. Para dizer, como outro fazem, que o batismo é somenteuma coisa do coração, e não umaordenação externa, é dizer algo que parece claramente contraditório à Bíblia.

(5) O batismo é uma ordenança que, segundo as Escrituras, um homem pode receber, e ainda assim não obter nadade bom dele. Têm-se dúvidas disso, porventura não foram Judas, Simão - o Mago, Ananias e Safira, Demas, Himeneu, Fileto e Nicolas, todos eles batizados? Então, qual benefício eles receberam do Batismo? Claramente, para qualquer coisa que sabemos, receberam benéfico algum! Seus corações “não eram retos diante de Deus” (At 8:21). Eles permaneceram “mortos em delitos e pecados” e estavam “mortos enquanto viviam” (Ef 2:1; I Tm 6).

(6) O Batismo é uma ordenança da Era apostólica que nasce juntamente com a religião de um homem [Cristo]. No mesmo dia em que muitos dosprimeiros cristãos se arrependeram e creram, naquele dia foram batizados. O Batismo foi a expressão de fé do recém-nascido e o ponto de partida para o Cristianismo. Não me admira então que fosse considerado o veículo de todas as bênçãos espirituais. As Escrituras expressam “sepultados com Ele pelo Batismo” -“Batizados em Cristo” apresentaria profundo significado para as pessoas (Rm6:4; Cl 2:12; Gl 3:27; I Pe 3:21). Tais expressões coincidem exatamente com aexperiência dessas pessoas. Mas aplicar tais expressões indiscriminadamentepara o batismo de infantes nos nossos dias é, em minha opinião, irracional einjusta. É uma aplicação da Escritura que, creio eu, nunca foi intencional.

(7) O batismo é uma ordenança que um homem pode nunca receber, e ainda assim ser um verdadeiro cristão e sersalvo. O caso do ladrão arrependido é suficiente para provar isso. Aqui estava um homem que se arrependeu, creu, foi convertido e deu provasde verdadeira graça, se alguém assim já fez. Não sabemos de outro alguém que tenha sido abordado por tal maravilhosa frase “Te digo que hoje estarás comigo no Paraíso” (Lc 33:42). Não há a menor prova de que esse homem tenha sido batizado! Sem o Batismo e a Ceia do Senhor, ele recebeu as maiores bênçãos espirituais, enquanto ele vivia e foi com Cristo no Paraíso, quando ele morreu! Afirmar, em face do caso, que o Batismo é absolutamente necessário para asalvação é algo monstruoso. Dizer que o batismo é o único meio de regeneração, e que todos os que morrem sem batismo estão perdidos para sempre, é dizer o que não pode ser provado pela Escritura, e é revoltante para o senso comum.

Deixo essa parte do meu assunto aqui. Recomendo as sete proposições que tenho previsto para a séria atenção de todos que desejam obter uma visão clara sobre o batismo. Ao considerar os dois sacramentos da religião cristã, eu asseguro ser de primordial importância para afastar de nós a indefinição e mistério com o qual muitos cercam. Acima de tudo, vamos ter cuidado com o que acreditamos nem mais nem menos sobre eles [sacramentos] do que podemos provar por simples textos da Escritura.

Bispo J.C.Ryle
Trecho do capitulo: "Batismo", do livro Knots Untied
tradução: Renan Almeida