quinta-feira, 28 de julho de 2011

O Engano Pré-Milenista

Contradições Pré-Milenistas

A visão escatológica predominante entre os cristãos no século vinte é o pré-milenismo. O pré-milenismo é a visão de que após a sua segunda vida, Jesus Cristo governará a terra por 1000 anos. Assim, a segunda vinda é antes do milênio (pré-milenista). Os pré-milenistas ensinam que na segunda vinda de Cristo, os santos que estiverem vivos serão rapturados e os santos mortos serão levantados dentre os mortos. Todos esses santos receberão corpos glorificados e imortais. Eles encontrarão Cristo nos ares e retornarão para governar com ele a terra por 1000 anos. Esse período de 1000 anos será um de paz e justiça mundial. No final desse período, Satanás será solto de sua prisão para enganar as nações. Inúmeros exércitos se rebelarão e atacarão Cristo e os santos em Jerusalém; esses exércitos serão então destruídos por fogo do céu. Após a derrota desses exércitos rebeldes, acontecerá a ressurreição e o julgamento final; então começará o estado eterno. Essa é, em resumo, a essência do pré-milenismo; há muitas variações. Entre os pré-milenistas há os que crêem num rapto pré-tribulacional, medo-tribulacional e pós-tribulacional. Os pré-milenistas dispensacionalistas colocam o rapto não na segunda vinda, mas no princípio da tribulação de sete anos.

1. O mito da interpretação literal vs. não-literal

Os pré-milenistas argumentam que eles sustentam uma interpretação literal da Escritura, enquanto acusam seus oponentes teológicos (e.g., pós-milenistas) de terem uma tendência de espiritualizar passagens proféticas. A verdade é que pré-milenistas, amilenistas e pós-milenitas ─todos eles ─ crêem que a Escritura deve ser interpretada literalmente às vezes e simbolicamente em outras ocasiões, dependendo do contexto da passagem e da intenção do autor. Os autores pré-milenistas dizem aos seus leitores que eles interpretam a Bíblia literalmente. Mas se você ler os seus livros, cenas com arcos, flechas e cavalos tornam-se futuras batalhas com tanques, helicópteros e aeronaves. A marca da besta se torna um chip de computador ou um código de barra. Os gafanhotos do abismo (Apocalipse 9) supostamente se tornam ataques de helicópteros, e assim por diante. Há algum autor ou comentarista pré-milenista que creia que a besta do mar com sete cabeças e dez chifres (Apocalipse 13) é uma criatura literal? O ponto é: pré-milenistas, amilenistas e pós-milenitas ─ todos eles ─ interpretam algumas passagens simbolicamente e alguma passagens literalmente. A única forma de determinar qual é a melhor interpretação é usando princípios bíblicos saudáveis de interpretação ao examinar as passagens em questão. Isso significa que o contexto, a audiência, a intenção do autor, o tempo da escrita, e assim por diante, devem ser considerados. Além do mais, a Escritura não pode contradizer a Escritura; portanto, quando duas passagens parecem estar em conflito uma com a outra, a passagem mais clara deve ser usada para interpretar a menos clara. Esse princípio é muito importante, pois há muitas passagens claras no Novo Testamento que ensinam algo sobre a segunda vinda de Cristo.

O pré-milenismo é baseado numa interpretação literal de Apocalipse 20. Muitos pré-milenistas não conhecem uma interpretação pós-milenista. Muitos pré-milenistas são informados que os fundamentalistas são pré-milenistas, enquanto os teólogos liberais são pós-milenistas. Muitospré-milenistas não sabem que a visão dominante entre os protestantes, desde a Reforma até o final de 1800, era, de fato, pós-milenista. O pré-milenismo se tornou a visão dominante após a publicação, em 1909, da Bíblia de Referência Scofield. Os pré-milenistas frequentemente não estão cientes dos muitos e sérios problemas teológicos e exegéticos que acompanham a interpretação deles.

Por: Brian Schwertley

Leia o restante desse excelente livro aqui.

Traduzido por: Felipe Sabino de Araújo Neto

Fonte: http://monergismo.com/